Pesquisa personalizada
Ano passado fiz este doce, pela 1ª vez (aqui) seguindo a regra de não usar faca no preparo da abóbora chila pois ficava estragada, com cheiro a peixe, mau odor, etc... pois na internet tudo o que vi assim o dizia.

Entretanto através de um Sr. pasteleiro tive conhecimento que isso de não usar faca era tudo treta, que o que causava odor eram as partes amarelas junto às pevides e a espinha "dorsal" que sustenta as pevides.

Então este ano como tinha chilas q.b. decidi tirar as dúvidas.
Conclusão? Realmente é treta, podem usar faca à vontade que não estraga a chila.

Tinha 3 chilas para usar.
Primeiro tentei cortar como se corta uma abóbora, e consegui, mas exige algum esforço de mãos. Retirei com a faca as pevides, a espinha, e tudo o que seja amarelado. Com a faca tirei aos bocados a chila agarrada à casca.
Como exige algum esforço, nas outras duas optei por outro método.

Lavei a chila bem lavada por fora, coloquei num saco plástico de asas no qual dei um nó e pimba atirei para o chão para a partir em vários bocados (assim não fiz força a parti-la e não se suja o chão). 

Retirei do saco e limpei as pevides, a espinha e as partes amarelas. A única diferença é que não retirei a casca da chila, pois resolvi cozer com a casca como fiz ano passado. Para mim é menos trabalhoso e depois de cozida a polpa separa-se muito bem da casca, é só raspar com uma colher.
Ou seja cozi 1 chila descascada e outras 2 com a casca.
Depois de cozida foi fazer o doce que explico abaixo (não se assustem com o tamanho da descrição).
Por isso podem usar faca à vontade.

Chila: "Olha eu aqui toda pomposa. Nem sei o que me espera"

Ratolinha: Pois não, tu e as tuas irmãs ihihih




Aqui fica a sequência das fotos:

A limpar as pevides, a espinha e as partes amarelas com a faca:



O que se retira e ainda usei uma tesoura também na limpeza:





Chila já lavada em várias águas, pronta a ir para o tacho:



Chila já no tacho com água e sal para cozer:




Chila já cozida. Pode-se ver a polpa a separar-se da casca:



O miolo depois de raspado da casca:


A calda do açúcar onde falta colocar a chila:



Já a ferver para reduzir:


Doce já no ponto pronto para colocar nos frascos:


Colocada nos frascos previamente esterilizados:




Doce de chila pronto a ser utilizado ( a sua cor deve-se ao facto de ter usado também canela em pó):




Ingredientes:
Usei:
3 abóboras chila (peso da chila escorrida tinha 1500 gr.)
Sal
Açúcar: igual ao peso da chila escorrida (cortei um pouco e usei 1200 gr.)
Água: Por cada kilo de chila usar 250 ml (usei 375 ml para 1,5 kg de chila)
2 Pau de canela
2 Cascas de limão
Canela em pó (opcional, é uma questão de gosto)

Preparação:


1- Lavar as chilas por fora

2- Colocar num saco plástico e fechá-lo

3- Atirar para o chão até rachá-la em vários pedaços

4- Proceder a limpeza do interior, retirando as pevides, a espinha que as sustenta e todas as partes amareladas com a ajuda de uma faca

5- Lavar os pedaços de chila em várias águas até deixar de largar espuma

6- Levar a cozer num tacho com água e sal até a polpa se começar a soltar da casca. Coar

7- Com a ajuda de uma colher ou espátula raspar a polpa da chila agarrada à casca

8- Deixar escorrer bem a água e separar com as mãos os fios da chila que estejam ainda agrupados

9- Depois de escorrida, pesar para calcular o peso do açúcar 

10- Num tacho colocar a água, o açúcar, os paus de canela e a casca de limão e a chila. Levar ao lume para ferver

11- Deixar ferver em lume brando para reduzir a calda (demorou cerca de 30 minutos). Desta vez coloquei também canela em pó, daí ter ficado com a cor acastanhada, mas é uma questão de gosto

12- Com a calda reduzida em ponto de doce (+/- 105ºC) é só colocar em frascos esterilizados (enquanto faço o doce coloco os frascos submersos em água e tampas num tacho a ferver cerca de 5/10 minutos),  quando o doce está pronto retiro-os, escorro o excesso de água e coloco-os em cima de papel absorvente e depois encho-os

13- Depois dos frascos cheios, tapo-os e viro-os ao contrário durante 24 horas para criar vácuo, findo esse tempo guardo em local seco e fresco. E temos docinho para o ano todo. Depois de aberto conservar no frigorífico. 





This entry was posted on terça-feira, outubro 30, 2018 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

2 comentários:

    Therasia The Cook disse...

    Esta receita veio mesmo a calhar, na semana passada andei a procurar a receita do bolo típico de casamento aqui do Algarve, o bolo mimoso, que leva amêndoa e gila. Por aqui temos sempre doce caseiro mas como não gostamos muito foi para o lixo. Conclusão agora que preciso não temos, mas a minha tia vai-me dar duas e vou seguir esta receita :D Obrigada, veio mesmo a calhar <3

  1. ... on 30/10/2018, 11:12:00  
  2. Mary - Strawberrycandy disse...

    Deu trabalho, mas ter ficado maravilhoso!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

  3. ... on 31/10/2018, 10:58:00  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Top blogs de receitas

Parcerias:

Chás, Compotas, Mel....

Comprar on-line