Pesquisa personalizada
Por estes lados já cheira a Outono, uma estação que gosto bastante.
Estas forminhas já me foram oferecidas há tanto tempo, e eu ainda não as tinha estreado.
Esta receita apesar de parecer um pouco difícil (pelo menos para mim), cheguei à conclusão que afinal não é assim tanto. 

Apesar de não me ter corrido 99% como gostaria que tivesse corrido... mas acho que sei qual foi a razão.
E a razão foi o facto de eu ter usado massa folhada fresca, mas que acabei por congelar pois o prazo estava a terminar. Então quando fiz estes pastéis retirei-a para descongelar, e, claro tinha muita mais humidade. E aí é que foi o problema, pois a massa teve tendência a agarrar às formas depois de cozida. E para desenformar não foi muito fácil, foi esse o único aspecto. Se tivesse usado massa folhada fresca, teria corrido 100% bem, acho eu.
Mas como diz o ditado "também se aprende com os erros". 

Como podem ver pelas fotos, algumas cornucópias não estão perfeitinhas. Mas garanto-vos que estavam deliciosas, ai isso estavam :)








Ingredientes:
1 embalagem de massa folhada fresca (usei do Lidl por ser rectangular)
Margarina para untar as formas
Açúcar em pó para polvilhar
1 ovo batido

Creme de pasteleiro:
230 gr. de açúcar
250 ml água
8 gemas

Preparação:
Comece por desenrolar a massa folhada fresca e corte tiras com cerca de 3 cm.
Unte as forminhas com margarina.
Enrolar as tiras de massa folhada nas forminhas cónicas, começando a enrolar na parte mais estreita.
Unir a massa no bico com os dedos.
Colocar as formas num tabuleiro com papel vegetal, deixando a parte onde termina a massa voltada para baixo.
Pincelar com ovo batido.

Levar a cozer em forno pré-aquecido  a 180º C até ficarem douradas.
Retirar, deixar arrefecer um pouco e desenformar ainda quentes.
Depois de desenformadas deixar arrefecer.

Preparação do creme:

Coloque 230 gr. de açúcar num tacho e cubra com 250 ml de água. Leve ao lume e quando começar a ferver deixe ferver cerca de 3/4 minutos.

Retire do calor e deixe amornar. Entretanto, misture oito gemas de ovo com um batedor de varas manual e junte à calda de açúcar.

Leve de novo ao lume brando, não parando de mexer até ferver para que engrosse um pouco. Retire e deixe arrefecer para rechear.
Rechear as cornucópias.
Polvilhar com açúcar em pó.



Mais uma receita que tinha muita curiosidade em fazer. Uma vez mais a minha intuição não me enganou... pois gostei muito do resultado do franguinho. Fica suculento e bem picante como gosto, uma delícia!

Nota: Usar uma cerveja com bastante gás, tipo super-bock. Eu usei cerveja cristal que tem pouquinho gás, e a cerveja não saiu da garrafa. Tive de retirar o líquido da garrafa e fui regando o frango manualmente.

Esta receita tirei do blog Cozinha da Risonha apesar de não ter colocado os tomates e os oregãos, gostei bastante!









Ingredientes:

1 frango inteiro 
Batatas inteiras com casca (lavadas)
6 tomates cereja (não pus)
1 cerveja 33cl (aconselho a usar super-bock ou outra marca com bastante gás)
Salsa, sal, azeite, pimenta preta, oregãos (não pus)
Tabasco para pincelar

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 200ºC.
Deixe o frango com a pele, remova o pescoço. Tempere por dentro e por fora com sal, pimenta e oregãos.

Coloque o frango sentado com a garrafa no seu interior, de modo a que o gargalo da garrafa saia para fora do frango. Dentro da garrafa coloque o ramo de salsa.

Disponha as batatas lavadas e temperadas com sal, e os tomates (não coloquei) no tabuleiro à volta do frango.

Regue com azeite.

Leve a assar até que o frango esteja bem dourado (demorou cerca 1.45h, pois o frango era grande)

Para servir puxe a garrafa e corte o frango como desejado.
Pincele com tabasco.

Nota: a temperatura do forno faz a cerveja borbulhar que vai saindo pelo pescoço do frango, regando-o constantemente enquanto assa.



Vi este pano de cozinha e gostei tanto dele que comecei logo a magicar em transformá-lo num avental.
Adorei a imagem da porquinha cozinheira, com ar matreiro :)
E assim fiz, comprei, alterei-o de forma a ser um avental, apliquei umas fitas. E após algumas visualizações de vídeos na internet de bicos de crochet (que como já tinha dito anteriormente, pouco ou nada sei fazer), saiu este bico que até gostei muito do resultado final.
Esta porquinha é para ti Mister F. (*._.*)








Este bolo passou à frente de umas quantas receitas que tenho para experimentar, tal era a curiosidade de o fazer e de o provar.
A receita dele foi-me cedida pela Lígia, uma jovem Srª que começou por me escrever um mail a informar-me que fez a minha bola de carne, e que lhe tinha calhado muito bem. Estava muito contente, pois ela e os cozinhados não se entendiam muito bem.

Trocamos, entretanto, alguns mail's, ela continuou a experimentar outras receitas aqui do blog, e o que para ela era um stress, passou a ser um gosto, pois agora cozinha e tem prazer no que faz.
Eu tendo conhecimento de tal, fico muito contente, e é de uma enorme satisfação para mim saber que o que aqui vou partilhando, acaba no fundo por ter um resultado positivo para algumas pessoas, como é o caso da Lígia.

Ela, como forma de agradecimento, enviou-me esta receita, que é de autoria da mãe dela e todos os que provam adoram, mesmo quem não gosta de maçãs.
Testado e aprovado da minha parte, é sem dúvida um bolo delicioso, e diferente do habitual.
Desde já lhe agradeço imenso a sua amabilidade, e disponibilidade pelo seu gesto.
Como lhe tinha dito, não iria resistir muito tempo sem o fazer. E aqui está ele!

O bolo é feito com maçãs golden inteiras. Quanto mais velhas estiverem as maçãs, melhor fica.
Caso faça o bolo com as maçãs ainda "verdes", tem de ter um cuidado redobrado para elas não se desfazerem, pois as maçãs vão ao lume do fogão a assar e não ao forno!








Já frias e prontas para levar a massa:



Acabadinhas de sair do fogão:


Prontas para irem para cima do fogão:


Ingredientes:
5 maçãs Golden inteiras
1,5 chávena (chá) de açúcar
1 chávena (chá) de água
1 cálice (grandinho) de vinho do Porto

Massa:
100 gr. de margarina planta
100 gr. de farinha branca de neve com fermento (pus 140 gr.)
250 gr. de açúcar (pus 225 gr.)
6 ovos

Preparação:

1ª etapa:

Lavam-se as maçãs e tiram-se os caroços.
Colocam-se na forma de buraco e acrescenta-se por cima 1 chávena e meia de açúcar, 1 chávena de água e um cálice de vinho do Porto.

Leva-se a forma ao lume brando a assar por mais ou menos 1 hora (eu tapei a forma com um testo com furinhos para deixar sair o vapor em excesso).
Quando as maçãs estiverem assadas, retiram-se do fogão e deixam-se arrefecer totalmente.

2ª etapa:

Bater o açúcar com as gemas e a margarina com a batedeira eléctrica durante um bom bocado.
Acrescentar as claras batidas em castelo e envolver na massa com a colher de pau.
Por fim, acrescenta a farinha e envolve-se novamente.

Unte a parte de cima da forma com margarina e verta a massa sobre as maças. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 40 minutos (demorou 50 min.).
Nota: este bolo é delicioso servido fresco (coloque depois de frio no frigorífico, mas devidamente tapado, para que o ar frio não seque a massa).


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Top blogs de receitas

Parcerias com:

Chás, Compotas, Mel....

Comprar on-line