Pesquisa personalizada
Umas espetadinhas para ver se chamam o sol, o calor que já se sente falta. Eu pelos menos já estou farta de frio, chuva, do clima tão incerto.
Experimentei fazer umas espetadas com um toque doce do ananás, e não é que até gostei do resultado final.
Uma refeição diferente e leve... ah, e light :) 
Não são só coisas doces, ah pois não!




Ingredientes:
2 peitos de frango sem osso
Fatias de bacon fumado
Pimento vermelho
Ananás fresco
Sal, sumo limão, pimenta, piri-piri

Preparação:

Partir os peitos de frango aos bocados pequenos, temperar com sal fino, sumo de limão e pimenta, envolver bem e deixar a marinar cerca de 15 minutos.

Para fazer as espetadas envolver cada pedaço de frango em bacon, colocar no espeto, alternando com pimento e ananás, como se vê na foto.
Levar a grelhar e assim que estiver grelhado pincelar com piri-piri a gosto.
Servir com salada.


Saiu mais uma pavlova, mas em vez de natas coloquei chantilly, morangos e raspas de chocolate.
Aqui fica a foto. Devo dizer que me agradou imenso esta versão com chantilly.
Para ver a receita e modo de preparação é só clicar aqui.
Quem já experimentou? 




Chegou o dia tão ansiado e tão falado, o dia do World Baking Day. E como aceitei o desafio de participar na celebração deste dia, toca a ir para a cozinha cedinho, porque tinha muitas etapas pela frente para terminar o que tinha magicado fazer. Peguei nos meus apontamentos, onde fui apontado esta e aquela ideia, a melhor combinação e, entre várias, eis a escolhida. Como o interior é cheio de cor, resolvi chamar-lhe Bolo Primavera da Ratolinha.
Um bolo feito com camadas e recheio diferentes. Uma explosão para o palato. Deu trabalho como podem verificar na descrição mais abaixo, mas fiquei feliz com o resultado, um bolo com o interior bem colorido!

Usei uma forma de aro amovível de 25 cm de diâmetro.
E já agora se gostaram do bolinho podem votar nele clicando aqui :
https://apps.facebook.com/world-baking-day/receita/d0ca5f03-2503-4307-b6b4-6e49ce79531c?fb_comment_id=fbc_351927878263507_1725296_351932614929700







Ingredientes:

Para a base:
250 gr. de bolacha maria
150 ml de margarina líquida (usei Vaqueiro)

Para as massas de pão de ló:
6 ovos
200 gr. de açúcar
150 gr. de farinha trigo com fermento
1 colher sobremesa de fermento
1 colher sopa de cacau em pó

Para o doce de ovos:
6 gemas
200 ml de água
170 gr. de açúcar
1 casquinha de limão
1 colher sobremesa de farinha maizena (amido de milho)
(canela em pó)

Para recheio e cobertura:
2 pacotes de chantilly (ou em alternativa 3 pacotes de natas de 200 ml cada)
Raspas de chocolate

Preparação da massa pão de ló:
Comece por aquecer o forno a 180.ºC.
Separar as gemas das claras.
Com a batedeira bater as gemas com o açúcar durante cerca de 8/10 minutos. A partir daqui não usa mais a batedeira para esta massa.
Bater as claras em castelo e envolver com cuidado com uma espátula no preparado anterior  para que as claras não percam o ar.
Juntar a farinha e o fermento e envolver tudo.
Retirar cerca de metade do preparado para um recipiente ao qual vai juntar 1 colher de sopa de cacau em pó e envolver.
Entretanto numa forma (de preferência de aro amovível) forre com papel vegetal manteiga ou unte, e coloque a massa branca espalhando-a pela base da forma. Leve a cozer ao forno cerca de 15 minutos (faça o teste do palito, espete-o, se sair seco a massa está pronta). Retire do forno e desenforme quando estiver morno.
Se usar a mesma forma, terá de esperar que arrefeça para cozer a outra massa.
Coloque agora a massa de cacau na forma sobre papel vegetal.
Leve ao forno a cozer.
Por último vamos fazer a base de bolacha.
Picar as bolachas na picadora, e juntar a margarina líquida. Mexer com uma colher para que ambas se misturem.
Na forma de aro amovível, coloque papel vegetal manteiga, e coloque a massa de bolacha, espalhando-a com a ajuda de uma colher, calcando-a.
Leve ao forno cerca de 25/30 minutos.
Retire e deixe arrefecer (aqui aconselho a deixar a base de bolacha sobre o fundo da forma para montar o bolo, para que a base não rache, pois fica crocante, e muito macia).

Preparar doce de ovos:
Num tacho colocar a água com o açúcar e a casquinha de limão. Leve ao lume e assim que começar a ferver, deixe ferver cerca de 4 minutos. Desligue e deixe arrefecer.
Numa tigela coloque as gemas e a farinha maizena e com um batedor de ovos (fouet) bata ligeiramente.
Junte à calda de açúcar (retire a casca de limão) e mexa com uma colher de pau, leve ao lume novamente e sem parar de mexer, deixe que ferva para que engrosse. Retire do lume e deixe arrefecer por completo.

Preparar o chantilly:
Junte ao pó dos 2 pacotes 400 ml de leite frio e bata 3 minutos com a batedeira.
Se optar pelas natas, bata-as em ponto de chantilly e junte um pouco de açúcar a gosto.

Montagem do bolo:
Coloque a base de bolacha (com o fundo da forma por baixo) num prato.
Espalhe uma camada de chantilly por toda a base.
Coloque a massa de pão de ló branca.
Por cima desta espalhe o creme de ovos, e, aqui espalhe canela em pó por cima a gosto.
Agora coloque a massa de pão de ló de cacau.
Barre todo o bolo com chantilly, decore a gosto com raspas de chocolate.
Leve ao frigorífico pelos menos 2 a 3 horas.



Como o prometido é devido, aqui está a receita das papas de sarrabulho.
Geralmente aproveita-se a carne que sobra dos rojões para a sua confecção.
Medidas exactas não sei, porque é feito a olho, mas não tem nada que saber.


Ingredientes:
Água da cozedura do fígado e sangue
Carne dos rojões (inclui rojões, sangue, fígado, tripa e redenho)
Farinha milha (aconselho a comprar em padarias por ser mais fina)
Cominhos, pimenta preta.

Preparação:

Numa panela colocar a água da cozedura do sangue e fígado e levar ao lume.
Começar por esmigalhar o sangue.
Partir toda a carne aos bocadinhos pequenos, e colocar tudo dentro da panela, assim como um pouco da gordura (molho) dos rojões.
Temperar com pimenta preta a gosto.
Numa tigela colocar água fria e juntar farinha milha aos poucos, mexer para que a farinha se desfaça na água (isto faz-se para evitar que a farinha ganhe grumos, caso a colocasse directamente na panela sem desfazer em água).
Colocar na panela e mexer para envolver tudo (Se vir que a farinha é pouca é só repetir o procedimento anterior e acrescentar mais um pouco). Vai engrossar ao cozer, demora cerca de 10 minutos.
Retire, sirva e polvilhe com cominhos em pó.



No seguimento do convite da Uniliver para participar no WBD, recebi este belo presentinho, para ajudar a confecionar um bolo fantástico e assinalar este dia.

O World Baking Day celebra-se no dia 19 de Maio, no próximo domingo, e tem como objectivo incentivar pessoas de todo o mundo a fazer coisas docinhas, bolos, bolachas, entre outras...
Podem visitar o site deles ou o facebook e tirarem ideias...
Vamos cá a pôr o neurónio a trabalhar (*_*)





Ora aqui está um prato que eu adoro! Um prato típico do norte, adorado por uns e detestado por outros.
É um prato que pela quantidade e variedade de ingredientes rende muito. Também é um pouco trabalhoso, mas a recompensa final vale bem a pena na minha opinião. É uma mistura de sabores na qual o meu paladar se delicia :)

Aproveitou-se a água da cozedura do sangue e fígado para fazer umas papas de sarrabulho, que em breve colocarei aqui.
E desse lado quem gosta e quem detesta?






Ingredientes:
As quantidades variaram conforme o número de pessoas 
+/- 1300 kg de rojões (perna de porco) partido aos nacos
Redenho
Tripa enfarinhada
Sangue de porco cozido
Fígado de porco
Batatas para fritar
Banha ou óleo

Para a marinada:
Sal, 6 dentes de alho esmagados, pimenta preta, vinho branco, 3 folhas de loureiro, cominhos em pó, colorau em pó

Preparação:

Comece por preparar a marinada, coloque os rojões e o redenho a marinar de preferência de um dia para o outro.
Num tacho espaçoso coloque a banha (eu coloquei óleo) a cobrir o fundo. Coe a marinada e junte somente os rojões, o redenho não. 
Deixe rijar lentamente, mexendo de vez em quando acrescentando vinho branco sempre que necessário e nunca água.

Numa frigideira anti-aderente coloque o redenho sem qualquer gordura (pois vai largar bastante), vá virando e deixe ficar douradinhos. Assim que estiverem prontos reserve.

Entretanto num tacho coloque água, tempere com sal e 1 folha de loureiro e coza o sangue juntamente com o fígado. Coze rápido, por isso assim que estiver cozido, desligue e mantenha tudo dentro do tacho com a água.
Frite as batatas partidas aos cubos e de seguida frite a tripa enfarinhada partida às tirinhas.

Depois dos rojões prontos, retire o sangue e fígado (reservando a água da cozedura para fazer papas de sarrabulho), parta aos bocados e junte aos rojões, assim como as batatas fritas, a tripa enfarinhada e o redenho. Envolva tudo com cuidado para se misturarem os sabores.
Sirva polvilhando com cominhos, enfeite com limão e salsa (ou pickles). Acompanhe com arroz seco e salada de alface.



Para responder a mais um desafio lançado pela It By Jugais na categoria de ice-tea, coktails de chá, sumos naturais com chá, entre outros... fiquei-me pelo sumo natural que muito aprecio. Adorei o resultado final! 
O travo que fica na língua a maçã e canela depois de beber é uma delícia!

E como o tempo passa a voar! Nem me lembrei que neste início de mês aqui o Blog da Ratolinha entrou no seu 4.º aniversário de existência... como o tempo passa! Tanta coisa que nestes anos tenho vindo a aprender...





Ingredientes:
150 ml de água
1 colher de sopa de chá preto com aroma a canela e maçã (It By Jugais)
1 laranja
1 banana pequena
1 pau de canela e 1 rodela de laranja para enfeitar.

Preparação:

Ferver a água e verter sobre o chá numa caneca, deixar em infusão cerca de 5 minutos. Coar e deixar arrefecer.
Espremer o sumo de uma laranja, partir a banana às rodelas, juntar ao chá frio e ralar tudo na liquidificadora ou com a varinha mágica.
Servir num copo enfeitando com uma rodela de laranja e 1 pau de canela.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Top blogs de receitas

Parcerias com:

Chás, Compotas, Mel....

Comprar on-line