Pesquisa personalizada
Volta e meia faço um pãozinho caseiro, mas como não tenho máquina, faço à mão, daí fazer poucas vezes...

Desta vez foi um pão integral, que nada tem haver com o que se compra, basta olhar para a cor deste. Tentei que ficasse tipo um cacetinho, mas ele expandiu-se para os lados e ficou assim baixinho. Mas não foi problema, porque ficou fofinho e bom, e isso é o que interessa.Ingredientes:

500 gr. farinha integral Nacional

2 pacotes fermento em pó de 4,6 gr cada um (usei da marca Vahiné)

1 colher café (pequeninas)açúcar

+/ 500 ml água

Sal

Preparação:

Colocar a farinha num recipiente, temperar com um pouco de sal. Colocar o fermento, o açúcar, acrescentar a água aos poucos, e com a batedeira (com os ganchos) misturar tudo. Se necessário acrescente mais água.

Transfira a massa para a bancada polvilhada com farinha, e com as mãos amasse um pouco e forme uma bola.

Coloque a bola num tabuleiro e tape com um pano para que levede.

Depois de ter dobrado de tamanho, coloque novamente na bancada polvilhada com farinha, e com cuidado forme um cacete a gosto (aqui a massa vai perder o ar que ganhou).

Coloque o cacete num tabuleiro com papel vegetal, tape novamente com o pano para que levede novamente. Assim que tiver aumentado de tamanho, leve a cozer em forno pré-aquecido a 180ºC.

Verifique com um palito se a massa está cozida, quando este sair seco, está pronto.


Foi a primeira vez que experimentei fazer ganache de chocolate. Já tinha visto em programas de TV e confesso que tinha uma certa curiosidade.Realmente, é perfeito para cobertura de bolos.

Desta vez usei num belo bolinho de cenoura e a combinação ficou perfeita!






Ganache de chcolate:



Ingredientes:

3 cenouras médias

280 gr. farinha trigo com fermento

350 gr. açúcar

1 colher sopa de fermento em pó

4 ovos

200 ml óleo

1 pitada de sal

Cerejas cristalizadas e coco para enfeitar

Para o ganache:

1 tablete chocolate de culinária de 200 gr.

1 pacote natas 200 ml

Preparação:

Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Bater na liquidificadora as cenouras (partidas às rodelinhas), o óleo, os ovos, o açúcar e uma pitada de sal.

Depois de tudo batido, verter o preparado para um recipiente. Acrescentar a farinha e o fermento. Envolver tudo com um rapa-tachos.

Untar uma forma redonda sem buraco (a minha tem 23 cm de diâmetro), e levar ao forno a cozer.

Demorou cerca de 1h10m., mas convém fazer o teste do palito.

Depois de cozido desenformar e deixar arrefecer.

Preparação do ganache:

Picar a tablete de chocolate o mais miúdo possível.

Colocar o chocolate num pirex de vidro e juntar as natas, levar a derreter em banho-maria, mexendo sempre (a taça de pirex não deve entrar em contacto directo com a água). Assim que estiver derretido deixar arrefecer um pouco e barrar o bolo.

Decorar a gosto.


Hoje de manhã ocorreu-me a caminho do emprego, em colocar um pouco dos meus pensamentos, conclusões que tenho vindo a tirar ao longo dos anos…
Sou de opinião que nada acontece por acaso, seja o que for…
E hoje, numa curta conversa de café com uma amiga minha, decidi-me a colocar “em papel”, pois é incrível como houve uma tal telepatia no tema da nossa conversa, que ela começava a falar e eu terminava-lhe as frases, com as palavras que ela iria dizer.


Houve uma situação que ela contou, que me indignou de tal forma, que se estivesse no local, não sei até que ponto me manteria calada, apesar do local em questão, uma igreja.
Apesar de ser um pouco mórbido, vou resumir.
Um jovem que aparentemente pôs fim à vida, no funeral o padre teve a distinta lata, não tenho outra palavra para lhe aplicar, de dizer que o jovem não era digno de ter a cerimónia fúnebre, pelo acto supostamente feito (isto foi contado por um outro padre que estava presente, mas como amigo do jovem, que também ficou estarrecido, revoltado e indignado com tais palavras).


Mas que “livro” seguiu aquele padre? Afinal não somos todos Irmãos e Filhos de Deus? Independentemente do fim, não teremos direitos iguais? Chiça!!!
Já não chegava para aqueles pais e restante família o sucedido, ainda terem de ouvir tamanha idiotice!!!
Enfim, adiante….Isto foi só um aparte…


Tenho-me deparado cada vez mais com pessoas que vão na rua a falar sozinhas, a discutir ao telemóvel, coisas do género.
Eu olho, e digo a mim mesma, Meu Deus onde é que estas pessoas vão parar?
Será que não param para pensar que se não “abrandam” a vida pode dar uma volta de 360º graus. Será que pensam que as coisas só acontecem aos outros?!


Outra situação que dou comigo muitas vezes a pensar, situações reais, que conheço e conheci, são de pessoas que até estão relativamente bem a nível financeiro, tem tudo para serem felizes, mas alguém que lhes é querido tem um problema de saúde, ou outro problema qualquer. Dependendo do problema, de que lhe servirá o dinheiro?! Será que essas pessoas já pararam para pensar nisso!


Claro que também existem os casos que financeiramente não estão bem, e que também não têm saúde, e têm outro tipo de problemas. Existem as duas situações.
Uma outra coisa, não sei se têm algum caso vosso conhecido também, de pessoas que nunca casaram e nunca tiveram filhos, mas que “partem” muito cedo, perto dos 50 anos. Conheço 2 casos muito próximos, e outros menos próximos.


Isto para dizer que a vida nos põe à prova muitas vezes, e a conclusão a que chego é que temos de saber lidar com a situação e sobretudo ter o poder de aceitação da mesma. Para bem-estar da nossa sanidade mental e física.


Depois existem aquelas pessoas que não conhecemos pessoalmente, só virtualmente, mas que por esta ou aquela razão trocamos mails, e, chegamos à conclusão que temos muita coisa em comum… muita mesmo…e que até acabamos por nos “ajudar” numa simples troca de mails, o que acaba por ser muito gratificante.


Por isso, e para concluir aproveitem a Vida com aqueles que Amam, com aqueles que vos fazem Felizes, nem que seja nas pequenas coisas, que parecem insignificantes, mas que não o são… e lembrem-se sempre, aceitem as pessoas como elas são.
Beijos e Fiquem Bem.


Hoje deixo aqui uma refeição que até é raro fazer. São umas simples costelinhas de porco, que geralmente utilizo no cozido à portuguesa, mas confeccionadas desta forma ficam muitos boas.

São daquelas coisas que uma pessoa por vezes nem se lembra de fazer.Ingredientes:

Costelinhas de porco

Batatas

Cebola, alhos, pimenta preta, azeite

Vinho Branco, loureiro

Chouriço colorau e de vinho

Cenoura

1 tomate bem maduro

1 knorr de carne, sal

Cominhos e colorau


Ingredientes:

Picar uma cebola com 2 dentes de alho para um tacho e levar a refogar com azeite. Quando alourar colocar as costelinhas partidas uma a uma e regar com meio copo de vinho branco. Colocar 2 folhas de loureiro, acrescentar o tomate partido e o knorr.

Envolver tudo. Deixar estufar lentamente, acrescentando água aos poucos.

Quando as costelinhas estiverem a ficar tenras, acrescentar calda e temperar com sal, pimenta, uns pós de cominhos e colorau.

Assim que ferver colocar as batatas partidas aos cubinhos, a cenoura, e os chouriços às rodelas. Deixar cozer.


Para adoçar o fim de semana que se aproxima, e para aquecer a alma, pois com tanto frio ela até arrefece... Deixo aqui uma mousse caseira, que fica muito boa e docinha. Aconselho até a diminuir a quantidade de açúcar para 6/7 colheres somente, em vez das 10 que leva.

Fica com uma textura excelente, nada que se compare às mousses instantâneas.

Ingredientes:

200 gr. chocolate de culinária

6 ovos

10 colheres sopa de açúcar

1 colher de sopa bem cheia de manteiga


Preparação:

Picar a tablete de chocolate em pedaços pequeninos e colocar numa taça de pirex. Levar a derreter em banho-maria o chocolate com a manteiga (num tacho colocar um pouco de água, e levar ao lume para que ferva, colocar a taça pirex em cima do tacho, mas de forma a que a taça não entre em contacto directo com a água. Assim que ferver desligar o lume e ir mexendo o chocolate até derreter completamente).
Juntar as gemas uma a uma, ao chocolate já derretido, batendo com a batedeira sempre. De seguida juntar o açúcar e continuar a bater.

Bater as claras em castelo e envolver manualmente no preparado anterior.

Distribuir por tacinhas e levar ao frigorífico umas horas.


Esta refeição apelidei-a de bife escondido, pois não segui nenhuma receita. Tinha bife para fazer, mas não me apetecia comê-lo simples. Era para rechear como costumo fazer e cuja receita já se encontra colocada aqui .

Comecei por cozer os ovos, mas, também não era bem o que me apetecia.

Pus-me a pensar.....e como tinha também 1 linguiça no frigorífico, pensei...pensei.... nisto já saía fumo da minha cabeça, eheheh... e saiu isto. Só posso dizer que adorei a combinação final, a mistura de todos os sabores.

Como o bife acabou por ficar escondido, dei-lhe este nome, acho que encaixou bem.





Ingredientes:

2 bifes tenros e grossinhos

Sal, pimenta preta

Mostarda

2 ovos

1 linguiça

2 fatias queijo finas

Preparação:

Cozer os ovos.

Pré-aquecer o forno a 200ºC.

Temperar os bifes com sal e pimenta.

Levar a grelhar untando o grelhador com manteiga (uso manteiga da mimosa com salsa e alho, como podem ver na foto mais acima), deixando-os mal passados.

Colocar os bifes numa travessa de ir ao forno e barrá-los com um pouco de mostarda.

No grelhador colocar a linguiça inteira sem a pele e grelhar.
Por cima dos bifes colocar os ovos cozidos partidos às rodelas, e por cima a linguiça fatiada. Cobrir com queijo e levar a derreter ao forno.
Servir com batata frita e salada, ou arroz seco.


Ora cá está a Ratolinha para mais um ano entre os tachos, panelas e docinhos, que não podiam faltar!!!

Primeiro que tudo, quero desejar um Feliz Aniversário com muita saúde à Sr.ª minha Mãe, que hoje está de Parabéns. É uma Mulher que muito admiro não só pela pessoa que é, mas por tudo o que já passou na sua vida, por muitas razões... resumindo é uma pessoa Fabulosa e Admirável.

Para ela, um Beijo enorme com muito Carinho (*__*)

E para começar este novo ano, deixo aqui uma refeição que gostei bastante.

Nunca tinha feito, por incrível que pareça, pois cá em casa só eu aprecio atum, mas o Glutão está aberto a novos sabores, vai daí..... e também adorou....

Mais uma vez, o blog incita-me a experimentar coisas novas, o que é muito bom, pois dá para variar bastante as refeições.

Bom Ano para todas(os).







Ingredientes:

Dá para 3 pessoas

Para o puré:

Batatas q.b.

Leite

Margarina, noz-moscada, sal

Queijo ralado para polvilhar

Para o recheio:

1 Cebola, 2 dentes alho, azeite

2 latas de atum

150 ml de polpa de tomate

6 delícias do mar

Sal, pimenta preta, salsa seca

Azeitonas pretas sem caroço

Preparação:

Comece por fazer o puré. Coza as batatas em água temperada com sal e assim que estiverem cozidas reduza-as a puré, junte 1 colher sobremesa de manteiga, uns pós de noz moscada e vá acrescentando leite aos poucos, mexendo sempre, até adquirir a consistência desejada.

Numa frigideira coloque a cebola partida às meias luas e os dentes de alho picados com azeite e leve a refogar. Assim que a cebola alourar um pouco, junte o atum previamente escorrido, a polpa de tomate e envolva tudo. Tempere com sal, pimenta e polvilhe com salsa. Junte as delícias do mar partidas aos bocadinhos. E misture tudo.

Numa travessa de ir ao forno colocar uma camada de puré, espalhar o recheio e por cima deste, colocar azeitonas partidas às rodelas a gosto.

Cobrir com nova camada de puré e colocar queijo ralado por cima.

Levar ao forno pré-aquecido a 250ºC até dourar por cima.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Top blogs de receitas

Parcerias com:

Chás, Compotas, Mel....

Comprar on-line