Pesquisa personalizada
Adoro este prato. Um ranchinho, uma comidinha bem portuguesa. Há quem confeccione este prato só com carne de porco, mas o rancho que eu conheço, e sempre fiz, leva também um pouco de carne de vaca. Fica uma delícia. Aqui ficam 2 fotos, uma ainda dentro do tacho e outra no prato.


Ingredientes:


As quantidades da carne variam conforme o n.º de pessoas


Carne de vaca


Entrecosto de porco sem osso


Chouriço de vinho


Moura ou morcela


1 chispe de porco (limpo)


Grão de bico (usei do já cozido)


Massa cotovelinhos


Cebola, alho, azeite, pimenta ou malagueta, sal, vinho branco, polpa tomate (2 colheres sopa)

1 knorr de carne, 2 folhas de loureiro


Preparação:


Comece por cozer as carnes em água temperada com sal.

Vá retirando as carnes conforme vão estando cozidas. Reserve a água da cozedura das carnes.


Num tacho pique 1 cebola grande e 1 dente de alho, regue com azeite e leve a refogar. Assim que alourar, coloque as carnes e regue com um pouco de vinho branco. Junte as folhas de loureiro e 2 colheres sopa polpa de tomate. Deixe refogar um pouco. Vá acrescentado a água da cozedura das carnes aos poucos.

Corte os enchidos às rodelas e junte à carne.

Aumente a calda, coloque o knorr de carne, tempere com pimenta ou malagueta, e rectifique o tempero de sal.

Coloque o grão de bico e a massa e deixe cozinhar.


Sirva.


Quem quer uma fatia de molotof? Ou melhor, uma fatia de "ar" como eu lhe chamo. Pois mete-se à boca, fecha-se e já era, parece ar.

É um pudim que eu adoro. É muito simples de se fazer, apesar de muitas pessoas se queixarem que abate. Basta seguir a receita que fica bem.





Ingredientes:
11 claras
11 colheres (sopa) de açúcar
Caramelo líquido (usei do de compra)

Preparação:
Ligue o forno a 180º C e coloque dentro um tabuleiro com água fervida dentro, para depois cozer o molotof em banho-maria.
Unte uma forma com buraco com margarina ou caramelo (coloquei margarina).

Bata as claras em castelo até ficarem bem firmes, depois adicione o açúcar aos poucos e continue sempre a bater. Por fim, junte caramelo líquido a gosto (pus 4 colheres de sopa) às claras em castelo, e bata mais um pouco.

Coloque o preparado na forma com uma colher, e tenha o cuidado de ir alisando para não ficar com bolhas de ar.

Coloque a forma no forno dentro do tabuleiro com a água (fervida) para cozer em banho-maria.
Deixe cozer cerca de 11 minutos (cerca de um minuto por cada clara de ovo).

Obs: se fizer um pudim de 6 claras, só coze 6 minutos e só leva 6 colheres sopa açúcar.

Ao fim desse tempo, desligue o forno e abra ligeiramente a porta (coloque, por exemplo, uma rolha de cortiça para a porta não fechar), para o molotof não abater. Quando o forno estiver praticamente morno, quase frio, retire o molotof, e deixe esfriar por completo. Desenforme depois de frio.


Pode colocar caramelo líquido por cima (eu não pus, para não ficar tão doce), ou colocar ovos moles.


Há quem faça os rissóis pequenos. Mas eu prefiro fazê-los grandes, pois é bem mais rápido de se fazer. Claro que depois em vez de comer 3 ou 4 pequenos só como 2.
Esta receita deu para 27 rissóis grandes, mas ainda sobrou um pouquinho de massa, que congelei.
Para uma refeição rápida nada melhor que ter uns rissóis congelados.






Ingredientes:

Para o recheio:
500/600 gr. carne de vaca picada juntamente com 1/2 chouriço de vinho
1 cebola, 1 dente de alho, polpa de tomate, pimenta preta, colorau, sal, azeite
Molho inglês, 1 knorr de carne, vinho branco, 2 folhas de loureiro
1 molhinho de salsa picada

Para a massa:
2 tigelas (das de sopa) de água
2 tigelas (das de sopa) de farinha trigo sem fermento
2 colheres de sopa bem cheias de margarina
Sal, 1 casca de limão

Para panar os rissóis:
2/3 ovos batidos
Pão ralado
Óleo para fritar

Preparação:

Comece por fazer o recheio: num tacho pique 1 cebola, 1 dente de alho e coloque azeite, quando começar a alourar coloque a carne picada e deixe fritar um pouco. Junte um copo de vinho branco, 2 folhas de loureiro, 1 knorr de carne, mexa e deixe estufar lentamente.

De seguida junte um pouco de polpa de tomate, tempere com pimenta, um pouco de colorau, e deixe estufar, e se necessário, acrescente um pouco de água.

Salpique com um pouco de molho inglês (cerca de 1 colher sopa) e rectifique o tempero com sal.
Deixe apurar até que seque o molho, misture a salsa picada e retire. Se ainda tiver um pouco de molho coloque a carne num recipiente com furinhos para que escorra o excesso.Deixe arrefecer.

Enquanto isso prepare a massa: Num tacho de preferência anti-aderente coloque a água, a margarina, a casca de limão e tempere com sal, deixe ferver, e retire a casca de limão.

Assim que ferva coloque a farinha, e no lume ainda, com a batedeira com os ganchos em espiral, mexa (usei a batedeira porque exige muito menos esforço a nível de braços) até estar tudo misturado. Retire a batedeira, e agora sim, com uma colher de pau, mexa mais um pouco até que se forme uma bola que descole do fundo do tacho.
Apague o lume e transfira a massa para a bancada previamente polvilhada com farinha, amasse um pouco com cuidado para não se queimar, e deixe arrefecer cerca de 15 minutos para a seguir fazer os rissóis.

Assim que estiver morna a massa comece a fazer os rissóis.
Sempre com a bancada polvilhada com farinha, comece por estendê-la com o rolo da massa e coloque um montinho de recheio, dobre e corte com a ajuda de um cortador ou um copo.
Certifique-se que as pontas estão unidas.

Coloque os rissóis num tabuleiro polvilhado com farinha. Repita o processo até acabarem os ingredientes. Certifique-se sempre que a bancada está polvilhada com farinha, para que a massa não se agarre à bancada.

Passe os rissóis por ovo batido deixando escorrer o excesso. De seguida, passe-os por pão ralado. Frite os rissóis de ambos os lados em óleo quente. Depois de fritos, coloque-os num prato com papel absorvente para tirar o excesso de gordura. E estão prontos a servir.
Se não consumir os rissóis todos de uma só vez, depois de paná-los, pode congelá-los, com atenção especial para não ficarem colados uns aos outros.


Já tinha postado esta receita, mas com os problemas que houve nestes últimos dias com o blogger, ela desapareceu do blog, assim como os comentários.

E, assim sendo aqui está de novo. É feita com uma base de bolacha muito idêntica à tarte de leite condensado que já aqui tinha postado, só não leva leite.

Fica deliciosa, crocante por fora e macia por dentro.










Ingredientes:
140 gr. margarina
250 gr. bolacha maria
1 pacote de chantilly (de compra)
Morangos


Preparação:
Picar a bolacha. Levar a margarina a derreter ao lume e juntar a bolacha picada, misturar tudo.
Untar uma tarteira de fundo amovível, forrar o fundo com papel vegetal e untá-lo.


Forrar com a tarteira com a pasta de bolacha.
Levar ao forno pré-aquecido a 180ºc +/- 20 minutos.
Desenformar com cuidado, mantendo a base da tarteira.
Deixar arrefecer.


Bater o chantilly de acordo com as instruções de preparação indicadas na caixa (adicionar 200 ml de leite ao pó e bater com a batedeira 2 minutos), levar ao frigorífico.


Lavar e escorrer bem os morangos. Parti-los ao meio.
Depois da base fria, colocar o chantilly e decorar com morangos a gosto.


Estamos na época das favas. Não é que aprecie muito favas... como mais na sopa, mas resolvi experimentar desta forma e até gostei. Aqui fica a receita para quem quiser experimentar.


Ingredientes:
1 kg. entrecosto em tiras
1 cebola picada
6 dentes de alho
Favas pequenas e tenras
Azeite, 1 folha de louro
100 ml vinho branco
1 tomate grande maduro
1 morcela
1 chouriço vinho
1 ramo de coentros (pus salsa)
Sal, pimenta


Preparação:
Corte o entrecosto em pedaços e tempere com sal.
De seguida, refogue em azeite a cebola e os alhos picados, juntamente com a folha de louro. Acrescente então a carne e deixe corar.

Junte o vinho e espere que evapore um pouco.
Misture depois o tomate picado e cubra com água.
Quando ferver, junte os enchidos e os coentros (salsa) picados, tape e deixe cozinhar cerca de 40 minutos.
Junte as favas e deixe-as cozer.
Rectifique o tempero.
Corte os enchidos em rodelas e sirva.


Hoje trago-vos um bolinho de abóbora (menina)delicioso. Nunca o tinha feito. Pois só costumo utilizar abóbora na sopa, e no natal, nos bolinhos de bolina. Mas tinha uma abóbora já há uns tempos para abrir, que veio da horta dos meus pais. E como já estava farta de a ver ali a ocupar espaço, vai daí, tratei-lhe da saúde. Deu para congelar ainda bastante, e para fazer este bolo. Ficou muito bom. Não tirei foto ao interior, mas garanto que ficou com uma excelente textura. Ah, e não sabe a abóbora.

Aqui está ela em bruto:

Ingredientes:
500 gr. de abóbora menina ( pesada sem casca e crua)
220 gr. de açúcar
250 gr. de farinha trigo com fermento

100 gr. farinha maizena
4 ovos inteiros
4 colheres de chá de vinho do Porto
3 colheres de chá de canela em pó
2 colheres de sobremesa de fermento em pó
150 ml de óleo
1 pitada de sal

Preparação:
Coze-se a abóbora em água temperada com sal. Depois de cozida, escorra, e, com a varinha mágica reduza-a a puré.
Com a batedeira, bata o açúcar com os ovos inteiros.
De seguida, acrescenta-se o óleo, o puré de abóbora e continue a bater com a batedeira.
Depois, junta-se a canela, as farinhas, o fermento, e o vinho do Porto. Continue a bater com a batedeira até misturar tudo.
Leva-se ao forno pré-aquecido a 180ºc em forma untada de manteiga e polvilhada com farinha.
Demorou-me cerca de 55 minutos.
Deixe arrefecer e desenforme.
Decore a gosto
.


Hoje não trago uma receita, mas venho dar a conhecer um blog de uma senhora que tem umas mãos muito prendadas para a pintura/artesanato e faz disso um hobby. Mas todos os trabalhos feitos por ela, estão disponíveis para venda. Basta entrar em contacto por mail.
Devo dizer que é esposa de um colega meu de trabalho e que já tive a honra de ser presenteada com um dos trabalhos dela, que foi esta caixinha lindíssima.
Visitem, tornem-se seguidores e desfrutem. Consultem aqui o
blog.







Hoje é um dia especial duplo. Pois é o dia da Mãe e faz precisamente 2 anos que criei este blog.


Não me arrependo em nada, antes pelo contrário, estou muito feliz por partilhar e aprender com todas vós.


Este é um dos motivos de festejo.


O outro, como todos sabem, é o dia comemorativo da Mãe. Por isso apesar de nunca o ter feito aqui, hoje resolvi homenagear-te, MÃE, com este belo ramo de rosas.


Faz quase um ano que me "pregaste" um susto de morte, que me levou a reflectir em muitas coisas. Em tudo o que me rodeia, em todos aqueles que amo, e que a vida sem amor não tem qualquer valor.


Mas Graças a Deus, superaste como mulher forte que sempre és!


Uma doce rosa.


Um beijo especial para ti dos teus 2 filhos!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Top blogs de receitas

Parcerias com:

Chás, Compotas, Mel....

Comprar on-line